terça-feira, 20 de Março de 2012

Um merecido cartão vermelho...


há algum tempo que não via a nossa imprensa aplicar um cartão vermelho com tanta propriedade e justiça. 
De facto Ernesto Bartolomeu esforçou-se até ao limite por merecer esta "distinção", que lhe acaba de ser entregue pelo Novo Jornal "através" da sua última edição.
"O jornalismo é uma profissão que merece ser tratada com dignidade, nobreza  e que apenas compactua com a verdade e não com a manipulação. O jornalismo deve ser feito com elevação e não com militantismo. Só isso revela bem a atitude que a TPA , cuja área de informação é agora liderada pelo pivot  ERNESTO BARTOLOMEU, uma antítese de si mesmo, porque sempre criticou a actuação dos anteriores directores e está a agora a fazer igual ou pior, ao promover um pseudo senhor “Vento”. 
Dar propaganda a malfeitores é coisa que nunca vimos. Não noticiar os factos é contra o jornalismo, ainda mais quando se trate de violação aos direitos humanos e constitucionais.".
(Novo Jornal/Sobe e Desce)
Conhecedores que já somos dos bastidores deste país, sabemos que mesmo que se opusesse a este tipo de tratamento, EB  tinha muito poucas possibilidades de fazer valer a sua posição, sendo nestes casos a demissão a única porta de saída, o que também não acreditamos que fosse uma solução a ser abraçada pelo "nossso Bartolas", tendo em conta a actual "conjuntura/colete de forças" e a sua própria "volatilidade", apesar de alguns "arrufos" do passado, que não passaram disso mesmo.
Fomos, possivelmente, os únicos a manifestar publicamente a nossa satisfação pela escolha de EB para integrar o primeiro Conselho de Administração da TPA. 
Na altura, já lá vai mais de um ano, aqui neste morro escrevíamos o seguinte: Sinceramente gostamos de ver o Ernesto Bartolomeu fazer parte deste primeiro CA da TPA, um verdadeiro balde de água fria e quente para muita gente daquela estação, mas não só. O Ernesto tem potencial para, nos limites sempre apertados da navegação que é permitida pelo Big Brother, introduzir algum ar fresco na programação do canal estatal. (http://morrodamaianga.blogspot.com/2010/11/os-novos-conselhos-de-administracao.html)
Não estamos arrependidos de termos feito este elogio (que foi mais um incentivo), mas depois do que temos vindo a observar da sua trajectória "administrativa", onde se inclui a sua grande falta de lealdade para com a equipa do extinto Semana em Actualidade, como é evidente não repeteriamos a dose.
Pelo andar da carruagem, tudo leva a crer que esta passagem de EB pelo CA da TPA, não vai ficar na história do nosso jornalismo pelas melhores razões. 
Definitivamente...